gestão de contratos, Inteligência Artificial, Legaltechs, Smart contracts

5 aplicações de Inteligência Artificial no setor jurídico

Confira como a Inteligência artificial (IA) tem sido utilizada para revolucionar a profissão jurídica.

Mais dados, mais inteligência e uma grande revolução no setor jurídico

Segundo uma pesquisa da Gartner, a tecnologia baseada em IA deverá reduzir em 15% até 2020 a quantidade de trabalho manual no setor jurídico.

Na era da informação, a adoção da IA está mudando o papel estratégico dos advogados. A pesquisa legal e a revisão de documentos, por exemplo, estão cada vez mais sofisticados graças à ao grande fluxo de dados e o uso da inteligência artificial.

Por conseguinte, ocorre uma grande transformação nos processos relacionados à gestão de contratos e Due Diligence. Cada vez mais, a tecnologia permite que os advogados “façam mais, com custos menores, ao mesmo tempo, que mantém a qualidade”.

Em vista disso, a IA é vista como um grande potencial para uma mudança de paradigma no modo como as tarefas legais são elaboradas e conduzidas até a entrega aos clientes, visto que ela tem o poder de completar tarefas tradicionalmente feitas por seres humanos por meio do aprendizado de máquina.

Para você entender melhor todas as transformações que estão ocorrendo na esfera jurídica, abordamos como os advogados estão utilizando a Inteligência Artificial no seu cotidiano.

1 – Revisão de contrato

Estima-se que os departamentos jurídicos internos gastem até 50% de seu tempo revisando contratos, mesmo quando se tratam de contratos simples.

Diante deste cenário, percebe-se que os departamentos jurídicos desperdiçam uma quantidade significativa de suas horas de trabalho na revisão de contratos.

Isso acontece basicamente porque se leva muito tempo para analisar rascunhos, preparar modelos padrão, identificar as variáveis ​​relevantes para um contrato e criar uma lista de verificação de cláusulas.

Mas ferramentas baseadas em inteligência artificial executam essa tarefa em uma hora ou até menos, encurtando o tempo de resposta do contrato.

No caso de due diligence, além da economia de tempo, por exemplo, pode-se reduzir o risco com uma revisão mais abrangente. De modo geral, a IA tem ajudado os advogados a revisar mais documentos no mesmo período de tempo e reduzir o risco de erros em uma transação.

2. Codificação Preditiva

A codificação preditiva – uma das formas mais avançadas de IA atualmente sendo usada pelo setor jurídico – é também conhecida como Revisão Assistida por Tecnologia (TAR) ou Revisão Assistida por Computador (CAR).

Essa tecnologia é utilizada para localizar informações armazenadas eletronicamente  responsivas durante a fase de revisão de um processo legal. Ao mesmo tempo em que acelera o processo de revisão, ela continua aprendendo e tomando melhores decisões. 

Em resumo, o software de codificação preditiva é basicamente um algoritmo de pesquisa que “aprende” como classificar a relevância dos documentos. Essa tecnologia também pode ser usada como uma forma de ferramenta de avaliação inicial de casos em um litígio ou outra questão que exija a revisão de um grande volume de documentos.

3. Gerenciamento de documentos legais

De modo geral, a inteligência artificial aplicada ao gerenciamento de contratos no setor jurídico automatiza as tarefas rotineiras para que os advogados possam se concentrar em atividades de alto valor.

Um software baseado em IA oferece recursos para localizar os principais termos que criam riscos financeiros em acordos, além do poder de extrair insights de grandes volumes de dados.

Isso é possível porque o uso de uma solução inteligente ajuda a comparar modelos de contrato automaticamente para quantificar e gerenciar a exposição a riscos e reduzir o tempo necessário para alcançar a assinatura do contrato.

Todos esses benefícios trabalham em conjunto para acelerar negociações, aprimorar a conformidade e gerar mais lucratividade.

4. Pesquisa Jurídica

A implementação e o uso de ferramentas legais de pesquisa usando inteligência artificial tem como objetivo reduzir as taxas legais dos clientes e criar um processo legal mais eficiente.

De modo geral, as principais empresas de pesquisa jurídica estão incorporando o aprendizado de máquina em suas plataformas.

Com o advento da tecnologia da computação, além dos benefícios óbvios de tempo e economia de custos, as ferramentas de pesquisa jurídica da AI permitem que os advogados acessem o suporte de dados até mesmo nos casos mais complexos. 

Graças a AI é possível alterar o processamento de linguagem natural para que ela não se concentre apenas nas palavras inseridas na caixa de pesquisa, mas também no comportamento anterior do usuário e de outros usuários que fizeram consultas semelhantes.

Essa técnica reduz de forma significativa a quantidade de tempo que os advogados gastam realizando pesquisas e, sobretudo, oferecem resultados cada vez mais relevantes para a prática jurídica.

5. Chatbots

Sem dúvidas, a tecnologia Chatbot está rapidamente se tornando uma ferramenta essencial para as empresas. À medida que a inteligência artificial (IA) fica mais sofisticada por trás dos chatbots modernos, eles podem ser utilizados para diferentes funções.

E o setor jurídico está começando a aproveitar o potencial dos chatbots para automatizar seus processos atuais, melhorar a eficiência organizacional e atender melhor seus clientes.

O tráfego no site de um escritório de advocacia, por exemplo, inclui vários segmentos de pessoas. Enquanto que algumas buscam informações preliminares sobre seus direitos legais ou sobre seções específicas da lei, outras já sabem que precisam contratar os serviços de um advogado.

Dessa forma, é possível utilizar os chatbots para a recepção e gerenciamento de clientes, assim como para a verificação de problemas legais e a conversão de visitantes em leads.

Por fim, a partir do momento que a computação cognitiva permite que os computadores analisem dados, aprendam padrões e ofereçam insights,  o trabalho dos advogados se torna muito mais fácil.

De uma forma ou de outra, a inteligência artificial afetará ou já mudou algum aspecto da prática cotidiana da grande maioria dos advogados.

Sobre o autor

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.