Legaltechs

Jurídico digital: plataformas, advogados e trabalho

A tecnologia, inovação e transformação têm um impacto cada vez mais amplo na prestação de serviços jurídicos.

Jurídico digital: a transformação dos escritórios jurídicos

Quando reconsideramos as últimas duas décadas, parece claro que a tecnologia passou a figurar em primeiro plano. Por certo, não é que não tenha havido inovação antes disso, mas hoje ela é onipresente e de algum modo já afeta as mais diversas profissões.

Sem dúvidas, não é uma descoberta recente que a tecnologia está em todos os lugares, tampouco afirmar que o setor jurídico demorou um pouco mais para vivenciar essas mudanças.

Entretanto, agora que a transformação já é evidente, a ascensão de aplicativos desenvolvidos especificamente para esse setor acena com uma ruptura de vários padrões no modo de “fazer as coisas”.

⌈ A ascensão de soluções desenvolvidas especificamente para o setor jurídico acena com uma mudança de vários padrões no modo de fazer as coisas. ⌉

Esse novo cenário sugere um setor jurídico mais digital, mais acessível e conectado com os anseios dos cidadãos que precisam resolver seus problemas de forma rápida e simples. De modo geral, as antigas formas de trabalhar e interagir com os clientes já não geram resultados.

Mas o que se observa é que mesmo com o advento da tecnologia, a prática jurídica envolve demandas cada vez maiores, embora o tempo disponível para atendê-las parece diminuir a cada dia.

De fato, o Relatório de Tendências Legais de 2017 mostrou que os advogados gastam apenas 2,3 horas (29% de um dia útil de 8 horas) em tarefas faturáveis. 

Um paradoxo, não? Quanto mais tecnologia, mais demanda, menos tempo. Mas, segundo pesquisas e estudos do setor, isso acontece porque muitos departamentos ainda trabalham com recursos desconectados. Ou melhor,  ferramentas que não alinham as reais necessidades de determinados processos que poderiam ser resolvidos por única solução. 

A experiência mostra que são as soluções holísticas que mais promovem as mudanças ou agregam valor ao trabalho do advogado, aliviando as tensões e desafios do dia a dia e o colocando em uma situação mais estratégica. 

Enquanto uma parte dos profissionais de direito tem buscado mais centralidade ou foco para o uso da tecnologia – diante de tanta informação e ofertas de softwares e ferramentas –  tecnologia de forma, por exemplo, outros ainda operam com sistemas desatualizados ou desestruturados.

Por exemplo, hoje o uso de uma plataforma de automação e gestão de contratos pode resolver todos os problemas cruciais do gerenciamento destes documentos. Já é possível não somente automatizar a criação e assinar, como gerenciar todo o ciclo de vida do contrato, inclusive com fluxos de trabalho e negociação inteligente.

Igualmente, o mesmo acontece quando alavancamos os desafios recorrentes da análise de dados. Enquanto alguns ainda não aproveitam o mínimo de seus dados, alguns não sabem exatamente quais dados coletar ou quais analisar.

Apesar disso, e de muito trabalho e conhecimento pela frente, observa-se de que de lá para cá e o que deve ser uma crescente, o mercado global de serviços jurídicos tem mudado de forma significativa, principalmente pelo surgimento das Legaltechs ou Lawtechs, empresas que unem tecnologia e direito para resolver os principais desafios do setor.

Segue abaixo um breve contexto das Legaltechs e seu papel na transformação digital.

O papel das Legaltechs no centro da transformação

De modo geral, as Legaltechs têm promovido a criação de novos aplicativos que buscam soluções de gerenciamento para uma advocacia mais eficiente.

As soluções projetadas por essas empresas têm, sobretudo, tornado a pesquisa jurídica mais inteligente. A pesquisa não apenas se tornou mais inteligente, graças a toda uma nova geração de ferramentas com Inteligência Artificial, mas também se tornou mais abrangente.

Esse novo cenário de mudança está conduzindo não somente as lideranças de grandes escritórios de advocacia a repensar como os serviços jurídicos são prestados, mas também pequenos escritórios, profissionais autônomos e outros atores desse ecossistema.

⌈Os serviços jurídicos estão sendo repensados não somente por lideranças de grandes escritórios de advocacia, mas também pequenos escritórios e profissionais liberais do direito⌉

Cada vez mais os advogados entendem que tempo é dinheiro e métodos de gestão e comunicação eficientes beneficiarão os resultados de toda e qualquer empresa ou departamento.

Por isso, as plataformas se tornaram uma força motriz para suavizar as tensões e desafios do dia a dia dos advogados. E é sobre elas que falamos abaixo. Acompanhe.

Plataformas: soluções eliminam o que desperdiça tempo

Tudo o que aumenta a velocidade e ajuda a eliminar o desperdício de tempo pode se transformar rapidamente em uma ferramenta de produtividade, resultando no aumento de muitas horas faturáveis para um advogado.

E é neste contexto que as plataformas estão redefinindo o escritório de advocacia moderno e como as práticas jurídicas se desenvolverão no futuro.

Em vista disso, as Legaltechs criam cada vez mais um ecossistema de tecnologia jurídica que se integra à solução de gerenciamento e práticas. Aqui nos referimos às práticas que exigem uma grande complexidade de análises e tarefas repetitivas que tomam muito tempo dos advogados.

Ou seja, essas plataformas ajudam a resolver tarefas que – pelo menos por enquanto – são em grande parte de responsabilidade dos advogados.

Entre as quais se destacam a extração de dados para obter dados que serão úteis em litígios, para criar e revisar contratos, fazer pesquisas legais e realizar a devida diligência antes das aquisições corporativas.

De modo geral, essas plataformas auxiliam no de desempenho de negócios oferecendo conjunto de ferramentas que oferecem processos habilitados para aumentar a eficiência, reduzir custos, tornar o conhecimento acionável e melhorar a comunicação com os clientes.

⌈A tecnologia reduz custos, aumenta a eficiência e torna o conhecimento mais acessível e acionável⌉

Além disso, essas plataformas proporcionam clareza, transparência e mobilidade, visto que podem serem acessadas em qualquer computador ou dispositivo móvel, utilizando uma abordagem de design responsivo.

Ainda sobre os benefícios, essas soluções são projetadas para reduzir os custos internos dos clientes. Desta forma,   ajudam  abaixar as taxas legais externas tanto para serviços de pequena quanto grande complexidade.

É neste contexto que a relação entre trabalho legal, taxas, competitividade e engajamento com as necessidades dos clientes, que os profissionais jurídicos estão estabelecendo uma conexão cada vez maior com esses mecanismos com o objetivo de transformarem a sua própria atuação.

A realidade citada acima reflete nos dados de uma pesquisa realizada pela Apptus de que 1 a cada 3 departamentos jurídicos vê a automação de contratos como uma das tendências que mais cresce e que adotariam em seus escritórios.

Trabalho: Como os advogados podem se beneficiar dessas novas tecnologias?

À medida que a tecnologia jurídica evolui, existe um debate frequente de que o aumento da automação do setor jurídico promete aumentar a eficiência e economizar dinheiro dos clientes, mas também pode cortar empregos no setor.

Entretanto, o fato da tecnologia se tornar responsável pelas tarefas atualmente realizadas por seres humanos é quase uma nova norma para todas as profissões.

Segundo dados do grupo Gartner, a tecnologia baseada em Inteligência Artificial (IA) deverá reduzir em 15% até 2020 a quantidade de trabalho manual no setor jurídico.

Por outro lado, com o aumento da automação na força de trabalho do setor, a tecnologia reduz os custos e torna os serviços jurídicos mais acessíveis a um número maior de pessoas.

Finalmente, os advogados podem ajudar seus clientes, adotando a transformação digital para ajudar, inclusive, as empresas a abraçarem inovações corporativas com mais segurança.

⌈Adotar a transformação digital torna o advogado um agente de mudança para as empresas que desejam abraçar inovações corporativas.⌉

E os advogados, assim como nas mais variadas profissões, precisam adaptar suas habilidades e conhecimento às novas perspectivas que surgem.  Vale ressaltar que o crescimento do emprego para todo e qualquer profissional está em campos que exigem alguma especialidade, como, por exemplo, os cientistas de dados

Ou ainda com grande conhecimento em assuntos complexos, como advogados trabalhistas, tributários e com conhecimento em compliance, entre outras áreas do direito.

Por conseguinte, todo e qualquer escritório de advocacia precisará se decidir se prefere um atalho ou um desvio. Neste sentido, as plataformas podem ser vistas como um atalho que leva direto ao topo dos desafios à medida que absorvem tarefas repetitivas e ajudam os advogados a conquistar processos mais inteligentes e mais rápidos.

Ademais, em uma época de mudanças consistentes e globais, não é mais possível se desviar da tecnologia. Logo, o desvio não é uma escolha para os que estão repensando a sua prática jurídica.

Sobre o autor

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.