gestão de contratos, Legaltechs, Smart contracts

Por que o Processamento de Linguagem Natural (PLN) impulsiona a gestão de contratos?

O Processamento de Linguagem Natural (PLN) é a tecnologia usada para ajudar os computadores a entender a linguagem natural do ser humano. E essa Inteligência Artificial tem o poder de tornar ainda mais eficiente o processo de gestão de contratos.

O que é Processamento de Linguagem Natural (PLN)?

Embora o Processo de Linguagem Natural (PLN) ou Natural Language Processing (NLP) não seja uma ciência nova, essa tecnologia está avançando rapidamente graças ao avanço da Inteligência Artificial. 

O interesse cada vez maior na comunicação entre humanos, a disponibilidade de dados (big data) e algoritmos aprimorados impulsionam cada vez mais o aprendizado de máquina e  suas aplicações inteligentes.

Diante disso, o processamento de linguagem natural ajuda os computadores a se comunicar com humanos em sua própria linguagem e dimensiona outras tarefas relacionadas à códigos, símbolos e fala.

Sem dúvidas, não é uma tarefa fácil ensinar as máquinas a entender como nos comunicamos, visto que a linguagem humana é incrivelmente complexa e diversificada. Os seres humanos se expressam de infinitas maneiras, tanto verbalmente quanto por escrito em centenas de idiomas e dialetos.  E dentro de cada idioma, há ainda conjunto único de regras gramaticais e de sintaxe e termos.

Dada essa complexidade, o processamento de linguagem natural confere às máquinas a capacidade de ler, entender e extrair significados com o objetivo de turbinar a análise e compreensão de dados. 

Logo, existe um grande progresso neste campo da IA que estuda a comunicação humana por métodos computacionais e tem como foco compreender e oferecer mais assertividade para as tecnologias do dia a dia.

Em suma, o PLN é um subcampo da inteligência artificial que lida com a interação entre computadores e humanos usando a linguagem natural e tem como objetivo preencher a lacuna entre a comunicação humana e a compreensão do computador.

Explicando, a finalidade maior deste subcampo da IA é ler, decifrar, entender e dar sentido à linguagem humana de uma maneira mais valiosa, exata, clara e fluída.

Como funciona o Processo de Linguagem Natural?

Como já mencionado, a maioria das técnicas de PLN se baseia no aprendizado de máquina para derivar significado das linguagens humanas.

E, basicamente, todas as aplicações que utilizam processamento de texto podem ser transformadas em linguagem natural e estão presente em muitas das ferramentas que utilizamos no nosso dia a dia.

Ao ajudar a resolver a ambiguidade na linguagem e adicionar uma estrutura numérica útil aos dados de muitos aplicativos como reconhecimento de voz ou análise de texto, o PLN é um processo extremamente interessante para quem procura extrair dados e torná-los ativos relevantes para qualquer campo de atuação, que vão dos negócios à ciência.


Algumas das principais aplicações:

– Pesquisa que prevê resultados de pesquisa do usuário;
– Aplicativos de tradução de idiomas, como o Google Tradutor;
– Processadores de texto, como o Microsoft Word para verificar a exatidão gramatical dos textos;
– Aplicativos de resposta de voz interativa em call centers para responder a solicitações de usuários;
– Aplicativos de assistente pessoal, como Google Assistente Siri, Cortana e Alexa;
– Filtro de spam;
– Reconhecimento de fala – Google WebSpeech ou Vocalware;
– Geração de texto a partir de dados de imagem ou vídeo.


Por que o PLN está mudando a gestão de contratos?

Como já mencionado, essa é uma disciplina que se concentra na interação entre a ciência de dados e a linguagem.

E graças às melhorias ao acesso de dados e o aumento do poder computacional, essa tecnologia permite que os profissionais obtenham resultados significativos em áreas como saúde, mídia, gestão de negócios, recursos humanos, entre outros.

Da mesma forma, as máquinas de hoje podem analisar dados em contratos baseados em linguagem humana de maneira consistente e imparcial.

E ao considerar  incrível quantidade de dados não estruturados gerados pelos contratos de uma empresa dias após dia, existem muitas informações e conhecimento que podem ser extraídos destes documentos para melhorar a gestão de uma empresa.

Sob essa perspectiva, essa tecnologia tem a capacidade de construir uma base de conhecimento empresarial que  leva a um conjunto de informações comerciais ativadas pela IA.

Sistemática que além de gerar contratos de alta qualidade, impulsiona o processo para gerenciar com maestria esses documentos durante todo o seu ciclo de vida.

Assim o PLN associado ao big data, que resolve problemas de codificação do contrato, por meio do aprendizado de máquina processam informações e descobrem padrões que ajudam a ativar a análise preditiva. Isso tudo acontece naturalmente a partir da correlação de várias entradas e saídas de dados.

Igualmente, o aprendizado de máquina pode ser usado para ajudar a classificar a intenção do usuário em um fluxo de trabalho do Contract Lifecycle Management (CLM).

Por exemplo, muitos contratos incluem linguagem padronizada, como cláusulas comuns e  repetidas entre documentos. E o software de CLM pode armazenar essas frases frequentes para que os usuários possam recuperá-los.

O futuro do gerenciamento de contratos

No entanto, essas tecnologias podem ir além, identificando o tipo de contrato com o qual um negociador está  trabalhando e, logo após, sugerir às partes informações apropriadas a serem usadas em uma negociação.

Ainda é possível prescrever alguma cláusula para lidar com estoque, flutuações de moeda ou uma linguagem similar já utilizada em uma contratação anterior com determinado parceiro.

E como os provedores de CLM em nuvem executam seus aplicativos em um amplo mercado que engloba  várias empresas, seus sistemas de máquina também aprenderão cada vez mais com os usuários finais.

E cada vez mais, será possível aprender a classificar itens desconhecidos e tomar melhores decisões pelo simples, mas contundente fato de se ter acesso a uma grande quantidade de dados.

E como as empresas lidam com milhares de contratos todos os anos e cada um destes documentos é uma fonte de informação poderosa, as empresas terão mais capacidade de  insights e embasamento para tomar as decisões certas mais rapidamente.

Portanto, não há como falar do futuro do CLM sem abordar tecnologias como aprendizado de máquina e/ou o processamento da linguagem natural.

Se você gostou deste conteúdo, não deixe de participar da pesquisa Legaltechnobrasil´s 2019 sobre o Contract Lifecycle Management (CLM) para o setor jurídico. 

Sobre o autor

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.